REEE - Resíduos de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos

Nas casas, nos escritórios, nas fábricas, nas lojas, nas escolas, etc.. usamos diariamente dezenas ou centenas de equipamentos eléctricos e electrónicos dependentes de correntes eléctricas ou campos magnéticos, sendo que alguns deles são mesmo imprescindíveis ao nosso quotidiano e bem-estar.

Findo o seu período de vida útil, e sendo impossível ou desajustado a sua reparação, todos estes aparelhos são considerados como REEE - Resíduos de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos e são introduzidos num sistema de valorização energética.

O sistema de valorização energética dos REEE começa pela recolha do aparelho velho (por princípio legal, os distribuidores grossistas ou retalhistas são responsáveis por assegurar a recolha de REEE gratuitamente) entrando de seguida na fase de desmantelamento em operadores licenciados pela Amb3.E. Nos casos em que as dimensões ou peso do REEE seja volumoso, deve solicitar á entidade que vende o equipamento novo a recolha, que deverá ser feito gratuitamente.

A valorização Energética dos REEE

Os EEE são compostos por diversos materiais - cabos, placas de circuitos, plásticos, metais, resistências, vidro, etc… além de substâncias como o chumbo, mercúrio, arsénio, cádmio e mais problemático, os metais pesados (cfc, pvc, pbb, entre outros). A introdução dos REEE no sistema de valorização permite que todos os componentes e substâncias sejam correctamente separados e condicionados, sendo posteriormente reintroduzidos no sistema de produção de novos equipamentos.